• Parcela 4 – Quinhapira, calabresa e caxirí: alimentação, meio ambiente e as mulheres do fim-do-mundo

  • Voltar

Quinhapira, calabresa e caxirí: alimentação, meio ambiente e as mulheres do fim-do-mundo

tags: mudança climática, catástrofes sócioambientais, alimentação, nexos e cidades, Gaia, racismo ambiental

Na Parcela 4 trabalhamos a partir de um repertório de “nexos”, agenciamentos multiespecíficos, agentes e redes mais-que-humanas, a emergência política de “seres-terra”, seus fluxos e mobilidades (mais-que-humanas), relacionadas com fins-de-mundos e cuidados. É crucial para tal tomar perspectivas históricas de processos coloniais e de urbanização recentes e em curso, para que se possa dar conta de pensar alimentação, segurança alimentar, soberania alimentar, fome, agricultura familiar, agriculturas tradicionais; em relação com capitaloceno, empobrecimento, bancarização e monetarização; à expansão das fronteiras do capital (agrícola, extrativista, de mão de obra); compreendendo os efeitos nefastos dos ultraprocessados e processos coloniais. Estão em questão o Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro e a contenção da catástrofe; “fazendo comestível a cidade”; assim como a destruição e composição de mundos a partir da presença de terra, animais, plantas e alimentos.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR OS MATERIAIS DA PARCELA 4

Alianças

Associação de Moradores da Vila Tuyuka (AIETUM/SGC); Instituto Socioambiental + DMIRN/FOIRN; Projeto Saúde Única em Periferias SUP (USP)

Responsável: Júlia Camanho (doutoranda, bolsista FAPESP, FSP/USP), Kaori Tomimura (mestranda, bolsista FAPESP, FSP/USP), Leandro Giatti (USP, docente), Elizângela Costa (mestranda, bolsista FAPESP, FSP/USP, Associação de Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro-AMIARN).


Apoios e conexão: Oswaldo Baquero (USP, docente); Lenin Alfonso Morales (doutorando, bolsa Panamá, FSP/USP-Leandro); Yorman Paredes Marquez (doutorando, FSP/USP-Leandro); Dulce Mendes Morais (ISA).

Parcela 1 | Parcela 2 | Parcela 3 | Parcela 5 | Parcela 6